19/11/2008

Mensagem de natal

ESTRELA DE PRIMEIRA GRANDEZA!
Aqueles dias eram semelhantes aos atuais.
Os valores éticos encontravam-se pervertidos pelo poder temporal dos dominadores transitórios do mundo.
A sociedade estorcegava nas aflições decorrentes da prepotência de uns, da perversidade de outros, da ignorância da grande maioria.
Louvava-se a força em detrimento da razão.
Cantavam-se hinos à glória terrestre com desprezo pelos códigos morais propiciadores de dignidade.
As criaturas submetiam-se às injunções das circunstâncias, tentando sobreviver à tirania dos governantes que mudavam de nome e prossseguiam com as mesmas crueldades.
Saía-se de um para outro regime de ignomínia e insânia com a mesma naturalidade.
Tudo era lícito, desde que apoiado na governança arbitrária que se impunha.
O monstro das guerras contínuas devorava os povos mais fracos, que eram submetidos à escravidão e à morte.
A traição e a infâmia davam-se as mãos em festival de hediondez.
Embora Roma homenageasse os artistas, os poetas, os filósofos que iluminavam o século de Otávio, prestigiava com destaque os espetáculos sórdidos a que se atiravam o patriciado e o povo sedentos de prazer e de loucuras.
Os seus domínios estendiam-se por quase todo o mundo conhecido, embora temida e detestada.
As suas legiões estavam assentadas nas mais diferentes regiões da Terra, esmagando vidas e destruindo esperanças.
O Sol nunca brilhava no planeta sem que estivesse iluminando uma possessão do império invencível.
Havia grandeza em toda parte e miséria abundante ao seu lado, competindo vergonhosamente.
*
Mas hoje também é assim.
As glórias da inteligência e do conhecimento, da ciência e da tecnologia confraternizam com a decadência da moral e dos valores de enobrecimento humano.
O terrorismo e a guerra encontram-se por toda parte, destruindo vidas e civilizações.
O planeta aquecido e desrespeitado agoniza, experimentando a própria destruição imposta pelos seus habitantes insensatos, embora poderosos...
Os idealistas que amam e os apóstolos do Bem que trabalham pela renovação da sociedade, quando não desconsiderados, são tidos por dementes e alucinados.
Enquanto isso, a soberba, a mediocridade, a astúcia tomam conta das multidões que desvairam, impondo os seus códigos de valores perversos que logo são aceitos pelas legiões de criaturas sem norte, destituídas de consciência moral.
Há também, é certo, almas grandiosas que lutam com acendrado amor e sacrifício, a fim de modificar as ocorrências danosas, tentando implantar novos significados psicológicos direcionados à felicidade, mas que são insuficientes para vencer os múltiplos segmentos da sociedade em desconserto.
Admira-se o Bem, mas pratica-se o Mal.
Preconiza-se a saúde e estabelecem-se programas de desequilíbrio emocional, geradores das doenças de vário porte.
O futuro glorioso, decantado pelas conquistas invulgares da modernidade, está sombreado pelo medo, aturdido pela ansiedade e caracterizado pela solidão dos indivíduos que constituem a mole humana.
Naqueles dias difíceis, na Palestina sofrida e submetida às paixões de César e aos caprichos de Herodes, o Grande, nasceu Jesus.
Estrela de Primeira Grandeza, que é Jesus, surgiu na noite das estúpidas e escuras ambições dos povos, para iluminar as consciências e despertar os sentimentos de humanidade, como dádiva de Deus respondendo às súplicas dos humilhados e esquecidos.
Passaram os tempos, foram sucedidos os criminosos de então por outros não menos odientos e apesar disso, Sua luminosidade permanece até hoje.
*
É certo que outros homens e mulheres, tão infelizes quanto aqueles do Seu tempo, procuraram dominar o mundo utilizando-se da Sua claridade, mas, desequilibrados, produziram mais trevas e aumentaram os volumes de dor.
O carro inexorável do Tempo continuou a sua marcha, avançando na direção de outros períodos, enquanto que os apaniguados do Mal, que se apresentaram nos espetáculos de luz, sucumbiram, vencidos pelos tormentos que escondiam nos tecidos da própria crueldade.
Ainda reina muita sombra na Terra. Mas amanhece dia novo.
A grande transição de mundo de provas e de expiações para mundo de regeneração, embora ainda assinale a presença do sofrimento e da desordem, do desrespeito pela vida e pela mãe-Terra, caracteriza a chegada de uma Nova Era, impossível de ser detida.
O Bem triunfará, sem qualquer dúvida, sobre o Mal.
A Verdade vencerá a mentira onde quer que se homizie.
A vida sobrepõe-se à morte, e a espiritualidade, por fim, reinará entre todos.
*
Conforme sucedeu naqueles dias, Jesus encontra-se, novamente, entre as Suas criaturas, repetindo a sinfonia das bem-aventuranças, conclamando as massas ao despertamento, antes que se agravem as circunstâncias e ocorrências não desejadas.
O Consolador, que Ele prometera já veio e vence, com segurança, as barreiras impostas pela tirania e pelos indivíduos orgulhosos, vazios de sentimentos nobres, conquistando os corações e oferecendo-lhes esperanças de alegrias infindas.
Travam-se lutas acerbas em toda parte.
Os argonautas do amor nada temem e multiplicam-se sob a inspiração do Mestre, avançando, estóicos, no cumprimento do dever: renovar a humanidade através da própria transformação moral, que a todos permite neles ver a mensagem luminosa.
Sem dúvida, ainda predominam as trevas ameaçadoras, que a Estrela de Primeira Grandeza vem diluindo de maneira compassiva e misericordiosa.
*
Faze a tua parte, sem preocupação com o trabalho dos outros.
Desincumbe-te do teu dever ante a consciência, servindo ao Consolador, mesmo que te encontres incompreendido e crucificado nas traves invisíveis da perversidade dos áulicos do egoísmo e dos seus servos.
No próximo Natal entoa o teu hino de amor, ajudando ao teu próximo, em memória da Estrela que veio à Terra, para que não mais permaneça a sombra.
Será ideal que todos os dias da tua vida sejam uma homenagem ao Aniversariante esquecido, mas triunfante da maldade humana e da morte que Lhe foi imposta, demonstrando que Ele prossegue contigo edificando o mundo melhor, sem excluídos nem abandonados à própria sorte, porque estará com eles, por teu intermédio, amando-os com enternecimento e carinho.
Joanna de Ângelis
(Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na noite de 15 de agosto de 2007, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia.)

meus videos

Loading...